jusbrasil.com.br
30 de Julho de 2021

A persistência da violência doméstica

Lívia Rodrigues, Estudante de Direito
Publicado por Lívia Rodrigues
ano passado

A Lei 11.340/2016 mais conhecida como Lei Maria da Penha, foi criada para combater a violência doméstica e familiar sofrida pela mulher.

O filme Vidas Partidas retrata a vida da mulher que deu origem ao nome da lei. Maria da Penha sofreu na pele e na alma agressões, como não havia nenhuma lei específica,seu ex marido, Marco Antonio Heredia Viveros, foi condenado a oito anos de prisão e ficou menos de dois.

Daí então, ela buscou ajuda de duas organizações internacionais de direitos humanos - Cejil (Centro pela Justiça e pelo Direito Internacional) e Cladem (Comitê Latino-Americano de Defesa dos Direitos da Mulher) -, o caso chegou à Corte Interamericana de Direitos Humanos em 1998. Infelizmente, a lei não retroage, mas graças à luta dela, filhas e netas e milhares de brasileiras hoje tem delegacia especializada conhecida como DELEGACIA DA MULHER e medida protetiva contra o agressor.

Infelizmente a violência persiste e mais difícil ainda que viemos de uma sociedade machista em que trata a mulher como inferior, não se ataca um homem da mesma forma que ataca uma mulher. A ex presidenta Dilma Rousseff era capa de jornais por seu peso, era fotografada diariamente ao andar de bicicleta ou fazer exercícios físicos, perseguição essa que os ex presidentes não sofreram; A ministra da mulher, Damares Alves é atacada diariamente pelas suas falas, o jornalista chico Santana fez uma enquete com os nomes de três mulheres para nomear a cobra naja e decidiram por Damares.

A gente escuta muito que briga de marido e mulher não se mete a colher e não é assim, você está sendo cumplice de um agressor, de um criminoso ao fingir que não viu nada, sua obrigação como cidadão é ajudar, é chamar a polícia antes que seja tarde demais.

Quando uma mulher busca desabafar nas redes sociais, é atacada por outras mulheres, ela é vítima, é preciso ter mais empatia e respeito com a dor da próxima, estamos sujeitas a passar por isso todos os dias.

Além disso, a violência ela não é somente física, ela pode ser também psicológica, moral, patrimonial, sexual... a violência física é quando ocorre qualquer tipo de agressão seja um aperto no braço, jogar contra a parede; na psicológica o agressor culpa a vítima, que a culpa deles brigarem é dela, que a culpa dele perder a cabeça é dela, assim como humilhação, chantagem, insulto, isolamento, na patrimonial ele ameaça tirar os bens dela ou tirar a guarda dos filhos, principalmente se a vítima for dependente financeiramente do agressor, na sexual é o ato sexual forçado, lembre-se: ser casado não dá o direito de ser forçada a ter relações sexuais se você não está com vontade, também, o agressor destrói bens, documentos pessoais, instrumentos de trabalho e recursos econômicos necessários a mulher , na violência moral ele comete os crimes de calúnia, difamação ou injúria.

A CULPA NUNCA É DA VÍTIMA! DISQUE 180!

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)